sábado, 22 de agosto de 2009

Apoliticamente... Desigualdade Social






A desigualdade social é um fato e é um mal – que visto por outro ângulo, tem em parte, razão de ser – o que seria do rei, se não houvesse o servo, ou ainda, o que seria do engenheiro se não houvesse o pião? – irremediável...

A prostituição infantil é um dos males oriundos da desigualdade social; às drogas, infelizmente muitas das vezes, é o refúgio da fome, da falta de carinho, de atenção, e até mesmo, do descaso de pais abastados, inteligentes para tudo e em tudo, menos em se doarem aos próprios filhos...

Como pessoas comuns, sofremos e nos sentimos incapazes, por não termos em mãos o "poder", para mudar a pintura do quadro, pois, por mais que consigamos mudar cores e paisagens, a moldura permanece.
Porém, o simples fato, de reconhecimento da gravidade do problema, ora existente, e o desconforto gerado pela impotência em não podermos agir... Denota que não somos vermes... Os que de fato o são, estão no “poder e com o poder”, engordados com os impostos exorbitantes e descabidos – puro assalto à mão armada –, aos nossos bolsos, enquanto que, o país está entregue ao abandono. Estradas sem conservação, cidades entregues ao lixo, cuida-se das áreas de turismo e o resto é resto! O mato toma conta de pontes e viadutos...

Em um país como o nosso, onde não há a menor preocupação com a educação e saúde do seu povo – hospitais e escolas funcionam precariamente ou estão por fechar às portas; alunos em pleno ano letivo, sentados em suas carteiras, sob às árvores do pátio escolar, prevenindo-se de desabamentos de tetos nas salas de aulas –, quadro mostrado recentemente pela mídia.

Como esperar dos que estão no poder, uma atitude em prol das crianças, adolescentes, ou de tantos quantos vivem à margem da sociedade?

O que podemos esperar de um país que distribui bolsa família – incentivo a fabricação de bebês, com o intuito de multiplicar a mísera quantia paga pelo governo –, o trabalhador deve ser digno do seu salário, assim sendo, seria uma preocupação governamental viável, gerar frentes trabalhistas, para que, os pais pudessem alimentar aos seus filhos, e não viver na malandragem, por ter a certeza de receber “ajuda” da parte do governo, que na realidade, acha por bem, não instruir o seu povo, para que continuem “tendo olhos sem ver”.

A bolsa família, tanto quanto, outras, dificilmente são usadas apropriadamente. Em verdade, alguns pais, terminam vendendo os seus filhos e os entregando a sorte... Muitas destas crianças terminam em casas de prostituição, sendo transformadas em brinquedos nas mãos dos pedófilos, e quando não quebrados, encontram a morte!...

Estas são verdades apolíticas, visto que não defendo nenhum partido, nem simpatizo com nenhum deles, e sim, com a verdade e com ela tenho compromisso.


EstherRogessi.Artigo: Apoliticamente Desigualdade Social. Categoria: Narrativa. 22/08/09. Imagem pesquisada na Internet.
Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...