terça-feira, 30 de julho de 2013

DIGNIDADE

Errar é humano, reconhecer o próprio erro e retratar-se é divino.


CALAR NEM SEMPRE É OURO

O QUE CALA O PRÓPRIO ERRO GRITA  A SUA FALHA DE CARÁTER.


sexta-feira, 26 de julho de 2013

LIÇÃO PARA AS NOSSAS VIDAS



Parafraseemos  o capítulo 6 do Livro de Daniel; dediquemo-nos à meditação, e que esta seja próspera e acresça o nosso espírito:

O rei Dario colocou cento e vinte sátrapas para governarem todo o reino e três supervisores sobre eles, dos quais, um deles era Daniel.

Daniel mostrou a sua competência e retidão, sobressaindo-se dentre todos. Isto irritou e ascendeu sentimentos contrários, não só entre os sátrapas, mas entre os seus colegas supervisores, que se acharam em perigo de que Daniel viesse a governá-los.

Reuniram-se, não só os supervisores, mas estes uniram-se aos sátrapas, indo de encontro a Daniel. Buscaram uma forma de derrubá-lo, de o rei Dario perder a confiança no fiel súdito, e mais, de fazê-lo perder o cargo. Daniel era a pedra no caminho dos seus "inimigos gratuitos".
Como atingi-lo, sendo ele homem incorruptível, inteligente, dotado da sabedoria divina,  e zeloso em  todos os seus intentos?

Assim, dedicaram tempo a observá-lo: horários e costumes, sem que achassem nada condenatório, em sua conduta; perceberam no entanto, que Daniel era um homem de oração, e três vezes ao dia, se prostrava de joelhos em terra, em orações e rogos, ao Deus Todo-Poderoso. 

Chegaram ao consenso de que nada havendo que o condenasse, usariam de estultícia, condenando-o através do que era impossível a Daniel, deixar de buscar - seu Deus.

Disfarçadamente, pois eram sabedores da grande admiração que o rei Dario nutria por Daniel, reuniram-se com o rei e o induziram a decretar que nenhum homem poderia ajoelhar-se e prestar culto a outro deus, ou pessoa que não o Rei Dario; e que esse decreto fosse selado com anel de selar, cuja revogação da pena de morte seria impossível. Longe de desconfiar do que estava por trás de tudo quanto lhe fora apresentado o rei concordou.
Chegaram então os inimigos invejosos de Daniel diante do rei e o informaram que o seu fiel súdito se prostrava três vezes ao dia diante do Deus Todo-Poderoso; exigiram que o edito vigorasse contra Daniel, o rei nada pode fazer a não ser ordenar que Daniel fosse colocado na cova dos leões, que foi selada com anel do rei e dos seus nobres.
O rei Dario falou para Daniel: "Que o seu Deus, a quem você serve continuamente o livre".  
O rei não conseguiu dormir e pela manhã correu até a cova dos leões para saber de Daniel e, o chamou com voz aflita:  - Daniel servo do Deus vivo, será que o seu Deus, a quem continuamente serves, pode livrá-lo da boca dos leões? Daniel respondeu-lhe: Ó rei, vive para sempre! O meu Deus enviou o seu anjo, que fechou a boca dos leões.Eles não me fizeram mal algum, pois fui considerado inocente diante de Deus. Também contra ti, não cometi mal algum, ó rei.
O rei ordenou que tirassem Daniel da cova dos leões, e constatou que nele, não havia nenhum ferimento; ordenou que todos que acusaram Daniel fossem lançados na cova dos leões, com suas mulheres e filhos, aconteceu que antes de que chegassem ao fundo foram despedaçados pelos leões.

O rei Dario escreveu aos homens de todas às nações, povos e línguas de toda a terra:
Paz e prosperidade!
Estou editando um decreto para que em todos os domínios do império, os homens temam e reverenciem ao Deus  de Daniel. Pois ele é o Deus vivo, e permanece para sempre; o seu reino não será destruído, o seu domínio jamais acabará. Ele livra e salva; faz sinais e maravilhas nos céus e na terra. Ele livrou Daniel da boca dos leões.
Assim Daniel prosperou durante o reinado de Dario e Ciro, o persa.

Parafraseando o texto:

O que inquietou todos quantos conviveram com Daniel, foi a sua sabedoria, retidão de caráter, submissão a autoridade constituída por Deus sobre a sua vida e o seu zelo pelo alheio e pelo próximo.
Caráter irrepreensível.
Viram em Daniel, a possibilidade de uma posição maior, de um cargo sublime - isto é mortal para os invejosos, que perdem tempo maquinando o mal para o que julga adversário, sem razão.
No nosso dia a dia não é diferente. 
Somos observados, medidos e pesados em balanças injustas e enganosas; ciladas são armadas contra os prósperos, os que fazem a diferença, quando em verdade a única diferença é o esforço, a perseverança no prosseguir, a capacitação de criar e repassar, compartilhar os seus frutos dignos, para com tantos quantos estejam propensos a receberem.
Os retos não fazem inimigos, eles surgem como que ervas daninhas, no meio do trigo; da grama verde e suculenta, porém o que é guiado por Deus, não tropeça, nem vacila, menos ainda, se deixa levar pelas lagartas da lavoura; o Senhor a  pulveriza, antes da colheita. E chega antes, sempre!
Os que armam covas contra nós, eles mesmos caem nelas.

Que o Deus Todo-Poderoso, abra os nossos olhos e nos faça enxergar mais do que ver.

No amor de Cristo,
Bispa Rogessi de Araujo Mendes.

MISSÕES É PRECISO!
PROJETO DE EVANGELIZAÇÃO NOS LARES, às 4ªs feiras - COLMEIA -, do coração de Deus para o IMPFAV-PE.

terça-feira, 23 de julho de 2013

SINCERIDADE DE CRIANÇA


A menininha chegou frente a vó e disse: - Vó, levanta o braço! 
- Pra que menina?
- Levanta o braço vó!

A vó levantou o braço, satisfazendo a netinha, a menininha esticou a mãozinha, e balançando às carnes flácidas, do braço da vó, que ondularam como o mar, disse:-Tá veinha...
Todos gargalharam diante da astúcia e sinceridade da garota, que assustou-se com as risadas sem entender o porquê delas.



Licença Creative Commons
O trabalho SINCERIDADE DE CRIANÇA de EstherRogessi foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

ADQUIRINDO EXPERIÊNCIAS





Há pouco estive em Cabo Frio-RJ, viagem linda...  Merecido descanso.
Quando viajo desapego-me  do PC, eu o domino, tiro férias virtuais.
É  tempo de observar, captar essências, buscar compreendê-las, aprender, até mesmo, com a “marizia”existente em cada ser; a parte negativa de cada um, não passa na minha  peneira, mas  absorvo bem cada aprendizado adquirido  e, comumente, os transformo em “estruturação de vidas”.
Escrever  me compraz,  esse ofício tem me levado a lugares inimagináveis, me proporcionado momentos inesquecíveis,  tenho conhecido e  meditado, sobre  o ser  mais complexo do planeta: o homem.
Dentro do elevador daquele conceituado hotel, eu  e o meu esposo vimos adentrá-lo, uma jovem senhora, produzida para ir à praia. Ao entrar conseguiu a difícil façanha de não olhar para nenhum de nós; nenhum bom dia, ou mesmo um simples oi! Olhos fixos nos seus pés...  Saiu como entrou – muda.
O que  lhe faltou em educação, sobrou-lhe em requebrado.
Pensei:  A vida requebra melhor.


Crônica: Adquirindo Experiências, EstherRogessi, Recife, 17/07/13


Licença Creative Commons
O trabalho ADQUIRINDO EXPERIÊNCIAS de EstherRogessi foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

ESCRITOR OU ESCREVENTE?


                                                        
Quanto se fala a respeito do que escreve, poderia dizer do escritor, mas após ter participado de um conceituado encontro literário, de âmbito internacional, onde tive a oportunidade de ouvir, mais que falar, e isso foi muito bom, fiquei a lembrar e não mais esquecerei, de certa palestrante que fez o seguinte questionamento: – Você se considera escritor,  ou escrevente?
Ficou claro o denodo de desmerecimento ao que escreve, com paixão, mas que é  anônimo,  e pouco experiente.
Desse constrangedor questionamento -¹o meu posicionamento era o de palestrante convidada -, infelizmente aplaudido por muitos – a palestrante tem fama – , escrevi: “A linha escrita por famoso é obra literária; a obra literária escrita por anônimo é alinhavo.”
Nas minhas andanças primo pela observância – fonte dos meus escritos; aprendi a ser aberta para o aprendizado; cada experiência passada, boa ou má, acresce o meu conhecimento, dignifica o meu espírito.
Escrevente é o que copia a escrita; é um escriturário, tem a ver com cartórios e repartições jurídicas; é o que lavra escrituras, procurações e contratos.
O que escreve,  o que expõe os seus sentires, de forma erudita, ou em linguagem simples, coloquial, é um escritor. Mesmo que não domine a língua pátria é um escritor, até então, fiel as suas raízes; não sepultou a sua história, os usos e costumes do seu povo, o seu sotaque, temendo a discriminação dos que se julgam eruditos, e palestram para mestres, sem a mínima preocupação de se fazerem entender, por todos.
Os menos favorecidos, os quase incultos, mas ávidos pela cultura, pela Literatura saem das palestras literárias, com a sensação de serem estrangeiros na própria pátria.
Alguns escritores de renome, não cursaram faculdades, mas alcançaram o reconhecimento público, pela beleza existente na simplicidade da exposição dos seus sentires.
O tempo aperfeiçoa;  não matemos os pequenos, para não perdemos os gigantes de amanhã.



¹-o meu posicionamento era o de palestrante convidada- primo por boa formação intelectual,acadêmica, etc.; esmero na escrita e,boa fluência da língua pátria, porém inquietá-me o menosprezo pelos simples; pelos iniciantes, que devem ser respeitados e honrados, incentivados a prosseguirem; livres do constrangimento causado, por quem conseguiu chegar alto, por quem levanta voos, sem se importarem, se arremetem alguém para o fundo,quando na busca de alcançar às alturas.



EstherRogessi, Crônica: Escritor ou escrevente?, Recife, 17/07/13


Licença Creative Commons
O trabalho Escritor ou escrevente? de EstherRogessi foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

INDICAÇÃO À ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE BUENOS AIRES


Digníssima Esther Rogessi

Buenos Aires, 07 de julio de 2013 Digníssimos Futuros miembros del Núcleo de Académicas Letras y Artes de Buenos Aires, futuros galardonados. Ese oficio tiene la intención de Presentar mis saludos sinceros y parágrafo informarles Que el Núcleo Académico de Artes de Buenos Aires se encuentra la festejando la inclusión de brasileños parágrafo ese Intercambio en favor de las letras y de las Artes y para la Promoción , y reconocimiento honrar a las artes, letras y cultura brasileña en la Argentina. El núcleo se deriva de fuertes Alianzas Entre Entidades Artísticas respetadas quieren condecorar y Hombres y Mujeres de Valor cuyos Relevantes servicios a lo largo de sus carreras en las Actividades Intelectuales, profesionales, culturales y sociales, Que se desarrollan en su País debe serviços Símbolo Mérito y respeto. A lo largo de los años, nuestros lacios si quedan más grandes y si funden CADA VEZ más, pero no se confunden, valorando la arte de Cada País. En este SENTIDO, estaremos organizando una Ceremonia Solemne de los nuevos miembros, Brasil y Argentina, con quince días de intensa actividad Que se iniciará en Brasil en el Museo José de Dome Cabo Frio en el dia 1 de septiembre, con la Inauguración de una exposición de arte y presentando un libro, pasando por la Bienal RJ, finalizando en Plaza de Mayo el 15 de septiembre en el BRASILEIRO DIA, a través de la invitación de la Casa de Jorge Amado, de Buenos Aires.
En Buenos Aires nuestra actividad diretor se llevará um cabo el 14 de septiembre de 2013, en Exe Hotel Colon en Buenos Aires, donde n reuniremos para una ceremonia y pronto tendremos una cena, o el Hotel o en una casa de tango Típico (se informará de las Próximas Semanas) Nuestra actividade diretor Será, en el dia 14 de septiembre de 2013, en el Exe Hotel Colón en Buenos Aires, dónde nn encontraremos para una cerimonia y enseguida tendremos una cena, Que Sera en el Hotel o en una casa típica de tango (Informaremos en las Próximas Semanas). Debera enviar para el correo electrónico de su padrino o Institución que le Indico, su Currículo y una foto en buena resolución. El futuro miembro receberá: El diploma y la Medalla Que siempre tendrá Prioridade en todos los Eventos realizados por el Núcleo en Buenos Aires. La Abertura del núcleo parágrafo correspondientes fue concebida par exaltar el Brasil y sus brasileños en las áreas de las Artes, Ciências, Letras y Cultura. Quieran aceptar sinceramente mis Sentimentos de estima, respecto y admiración. Sin más Pará el momento, me afirmo respectosamente y atenciosamente. Por favor, acepte mis más sinceras sentimientos de estima, respeto y admiración. Atenciosamente - María del Valle

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...