segunda-feira, 29 de junho de 2009

O Meu Pesadelo! (Poesia Livre)







































Meu pesadelo -  acordar!


Quanta coisa se tem por feia...


Quanto horror


Quanto repúdio!


Olhos que nada vêem


Percepção inativa


vocábulos que nada dizem,


canetas inaptas


Gestos inexpressíveis...


Efêmero expressar


Fotos reveladas


 fatos ocultos


Irreveláveis são!


Conceitos estabelecidos


padrões assumidos...


Decretos, leis vigentes,


para os menos favorecidos...


Quero dormir!


Como felina enxergar!


No escuro completa visão...


Não alimentar amarras


destruí-las, cortá-las!


Aguçar meus sentidos...


A noite tem seus encantos:


A profundeza do mar


os abismos... O lixo!


Quero acordar 
... o mundo reciclar!




EstherRogessi, Poesia Livre: O Meu Pesadelo! 


 Licença Creative Commons
O trabalho O MEU PESADELO de EstherRogessi foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

O Pavão...





























Quanta exuberância!
Sabe aquela visão que surpreende, extasia... Que denota demência?
Fiquei pasma, de boca aberta... Nunca vi tanta beleza em um só homem!
Meu Deus! 
Em meio à multidão os seus ombros se sobressaiam... Lembrei de Saul - moreno, olhos negros penetrantes, um árabe, cabelos fartos, lisos com uma leve ondulação na frente, um charme!
Os músculos dos seus braços se faziam visíveis nas mangas da camisa polo, que propositalmente, apertava-lhe o corpo... Ufa!
Durante todo o evento eu estava como que encantada.
Não via e não ouvia nada, ninguém!
Ele não tirava os olhos de mim, e eu não podia deixar de olhá-lo...
Finalmente, chegamos ao final do evento, para surpresa minha... Lá vem ele, “o morenaço” em minha direção.
Percebi que ele era ligeiramente estrábico. E, bem frente a mim, como se estivesse  me olhando, com voz fina e aveludada, de primeiro soprano... Disse: – Vamos amorr!...
Um senhor de meia idade, de bigodes fartos, que estava assentado na fila por trás de mim, se levantou e de mãos dadas seguiram a sorrir...
Oh! Deus... Que decepção! 
Espécie em extinção... Era só um pavão!




EstherRogessi. Conto Fantasia:O Pavão, Recife,
29/06/09.




  Licença Creative Commons
O trabalho O PAVÃO de EstherRogessi foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Este Homem é Meu!




















Ele passou e deu-me uma olhadinha...
Aqueles olhos safados, de quem deseja ver o que está por trás do pano.
Disfarcei, não demonstrei interesse algum... Simplesmente, caminhei, ginguei! Bailei... Com a destreza de quem sabe mandar bem no pé.


Lentamente  nos saltos... Atravessei a rua; abri a bolsa, e fingi surpresa...
Com ar de quem esqueceu o que não perdeu... Voltei! 
No mesmo passo lento, de quem caminha entre  nuvens; no meu vestido colado, cintado... Decote bem pronunciado.


Como eu esperava, lá estava ele: estático a me olhar...
Soou um fiu... Fiuuu! Sonoramente audível, de alguém do outro lado... Tentando chamar a minha atenção, que era só dele!
Continuei com o meu andar provocador... Em sua direção. Como que uma estátua ele me olhava extasiado!
Cheguei enfim, ao seu lado; ao ponto de partida.
Ele tentando um diálogo, perguntou-me: – Edvirgem? 
Olhei para ele, com um olhar de quem quer transformar a areia do deserto em água... E respondi-lhe: Tudo! Menos isso!


Peguei-o pela mão, e o arrastei para o prédio, gentilmente o elevador abriu a porta... Entramos. Tirei-lhe a camisa, e o elevador não parava... Como que para mostrar a sua eficiência.


Ouvi gritos: – Desce?  
Imediatamente eu respondi: – Soobe!
Este homem é meu!
Encravei minhas unhas no seu abdômen.
Foi quando um grito de dor ecoou...
Os meus 104 quilos... Por cima do meu marido...


Acordei!




EstherRogessi.Conto Fantasia:Este Homem é Meu! 


Imagem:Luso-Poemas.




  Licença Creative Commons
O trabalho Este homem é meu! de EstherRogessi foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil.

Felina



















Após um longo dia de trabalho e muita chateação, por suportar as manhas e o besterol das madames no:SALON THE OTHER FACE”, eu estava exausta, estressada, faminta em todos os sentidos!
Os meus 1.75m de altura, sem saltos – na rasteirinha – fazia-me, uma mulata desejável  corpo bem proporcional ao meu peso  "perfect breasts" – como que talhados a mão ; pernas lisas e torneadas, nada tenho de narcisista, é a pura realidade, por onde eu passava era um alvoroço. 
E ainda quis Deus, me presentear com olhos claros e feições afiladas – minha mãe, uma bela mulata e meu pai, alemão –, imaginem o quadro... 

Naquele final de expediente, véspera de Natal, eu estava com o cansaço de um soldado em guerra, e com uma fome felina... Despedi-me dos colegas de trabalho, queria chegar com pressa em casa. 
Para chegar a minha casa, teria que andar um quarteirão inteiro a pé, atravessando um enorme parque, muito arborizado, e pouco iluminado, a molecada quebrava as luminárias, para ser-lhes conveniente a prática de atos não recomendáveis. 
Este trajeto, eu fazia há quatro anos, e nunca tinha me acontecido nada, nunca me deparei com nada suspeito... Até mesmo, porque os malandros do lugar me conheciam. Eu procurava ser amigável e sempre que podia, distribuía alimentos e outras coisas entre eles, de forma, que algumas vezes um, ou, outro se oferecia para fazer a travessia do parque comigo.

Olhei e vi que o parque estava como jamais estivera... Sombrio, sem uma pessoa sequer! 
Não me deixei intimidar. Segui em frente!
De repente... Ouvi um silvo estridente, senti um gelo no coração... Uma sensação de que algo muito ruim estava por vir. Apressei os meus passos, olhando para os lados e para trás. Nada, nem ninguém... Porém, eu sentia a presença do meu perseguidor! Caminhava por uma alameda arrematada por uma cerca viva, compacta e alta, o perigo não poderia vir dos lados, eu estava atenta. No entanto, eu sentia a presença de alguém do outro lado. 
Olhei para frente e percebi que havia uma passagem, que ligava a passarela por onde eu caminhava, a outra lateral, de onde eu sentia está sendo perseguida. O medo assolou-me! 
E agora? Quem será? Onde estão todos os do parque? 
Eu não podia contar com ninguém! 
Nós nunca sabemos como reagiremos, em certos momentos da nossa vida. Somos uma incógnita!
A nossa reação diante do inesperado, pode ser espantosa, surreal!
Ali estava ele... O meu perseguidor, frente a frente comigo. Alto, musculoso, felino! 
Olhando-me nos olhos, com a respiração ofegante... Partindo a voz, disse: – Há quanto tempo, te sigo de longe... Hoje, dei folga ao parque, para está contigo!
Agarrou-me, e pude sentir quão dura era sua carne! 
Esqueci o cansaço, e, parti para cima do homem. Deixei a minha face feminina de lado, e tornei-me guerreiro! Pus para fora a espada, que eu trazia embainhada... e, fiz com que ele sentisse a dureza da minha outra face!
Que espanto!
O homem, não sabia o que fazer... Eu, estressada, faminta, e assombrada... Tornei-me espada!
Quem queria adentrar-me... O foi! 
Fiz o meu perseguidor conhecer enfim, a minha “THE OTHER FACE”.


EstherRogessi, Conto Erótico: Felina, Imagem:Google

Recife,29/06/09.

Lembranças

































Amor...
Estava à lembrar daquela noite, em que a chuva incessantemente descia sobre a cidade... Tornando-a sombria e silenciosa... Dentro do carro eu ansiava por ver-te. Que saudade!...
Um final de semana – parecia-me uma eternidade – sem a tua presença, sem o teu olhar...
– Felizmente, hoje é segunda-feira. Vou vê-lo! 
Pensei... Quanta ansiedade! A chuva batia no para – brisa, dificultando a visão do que estava à minha frente... E, o seu vai- e- vem, eram tais quais as batidas do meu coração...!
Com grande esforço curvei a minha cabeça para a direita – onde ficava a minha sala de aula –, em uma tentativa de encontrar-te. De repente... surgistes à minha frente, ou melhor, frente ao meu carro. E no teu rosto, claro e tão amado, contemplei um sorriso largo de satisfação em ver-me procurar-te... Carregavas uma pilha de livros, até o pescoço..., e, tentavas segurá-los, com o queixo... Mesmo assim, em meio à toda dificuldade, equilibrastes os mesmos e soltando uma das mãos, acenastes para mim... Sorrindo de uma forma que, jamais pude esquecer! 
Pequenos gestos de amor, que, nos acompanha por toda a vida...
Há mulheres, que, se comprazem em jóias e presentes caros...
Para mim... mui caríssimas são as lembranças de gestos e ações espontâneas e verdadeiras...
Essas, o ladrão não rouba, nem a ferrugem corrói... Doce acalanto..., que através do tempo, me alegra a alma.





EstherRogessi.Conto Cotidiano:Lembranças.Categoria:Narrativa.Imagem:Google.
http://www.Esther.lusopoemas

A Viagem Além de Mim...
















Parada, estática, eu estava...
Tudo via, assistia, ninguém me notava.Em um amplo salão, macas enfileiradas. Muito baixas, quase rentes ao chão, que encharcado de sangue estava.Crianças às dezenas, pequenas, mui pequenas! Ocupavam cada leito, que, como grelhas, sobre o fogo ardente se encontravam...E, eu... impotente, desesperada a tudo observava.Estava clara, muito clara a tamanha dor que ali reinava. Expressões de dor atroz, bocas abertas escancaradas... braços ao alto, agitados, como a pedir socorro, sem que eu ouvisse um grito!... Só expressões faciais, tudo falava!No final à derreter, e nada eu podia fazer, o desespero me assolava, e eu a gritar, gritar... Em vão, ninguém me escutava.
A visão era tão clara, quanto um ensolarado dia. Mulheres de roupas comuns, ajoelhadas ao chão, com panos rotos... enxugando o sangue que das macas descia como se fosse água. Eu podia ver às grandes gotas de sangue, caindo como se fossem bolhas... explodindo em contato com o piso.Entre às fileiras, ajoelhadas, elas esfregavam os panos que embebiam rapidamente o sangue, que jorrava dos leitos de dor... E a medida que o piso limpo e ainda úmido estava, novas fileiras de sangue escorriam das macas. E assim, ao observar a limpeza que as mulheres faziam, um pensamento imediato veio a mim: “Estão fazendo esta limpeza, porque está por vir alguém, senão não seria assim”...Foi quando suavemente ouvi uma voz, que me fez entender a visão atroz...
Estas são crianças espirituais, que em “Minha Casa” são o que querem ser, e agem contrário ao meu querer”!
Que viagem!...






Esther Rogessi.Conto Surreal: A Viagem Além de Mim...Categoria:Narrativa.Recanto das Letras.
http://www.esther.recantodasletras.com.br/




29/06/09.
Imagem Google

MESA NO DESERTO






MESA NO DESERTO


A MULTIPLICAÇÃO DOS PÃES ( Mt 14: 13:21)




E, tendo mandado que a multidão se assentasse sobre a erva, tomou os cinco pães e os dois peixes, e erguendo os olhos ao céu, os abençoou, e, partindo os pães, deu-os aos discípulos , e estes, a multidão, e comeram todos, e saciaram-se; e levantaram dos pedaços que sobejaram, doze alcofas cheias. E os que comeram foram quase cinco mil homens, além das mulheres e crianças.




MILAGRE É O SOBRENATURAL DE DEUS ACORDANDO COM O NATURAL HUMANO




Devemos saber discernir o que é milagre e a forma pela qual Deus operou. Para que professemos uma fé consciente e não desvairada, inconseqüente, e fanática. Temos que ter consciência de que o sobrenatural de Deus, quase sempre é operante de acordo com o natural humano. Na maioria das vezes falta a visão correta, o verdadeiro discernimento das Escrituras sobre questionamentos que como disse o Espírito Santo através do apóstolo São Paulo (IIPe 3.16) há pontos difíceis de serem entendidos: “Falando disto como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de se entender, que os indoutos e inconstantes torcem e igualmente as outras Escrituras, para a sua própria perdição”.


Costumamos ver o sobrenatural de Deus em coisas e em fatos, que em verdade, estão relatados de forma metafórica, em parábolas, e ainda: em um “linguajar peculiar da época, localidade e cultura de um povo”. Isto, porque, servimos ao Deus único e verdadeiro, que ressuscita mortos, abre os olhos aos cegos, cura enfermidades, que ao homem é impossível fazê-lo, dá voz ao mudo e faz o coxo andar. Muda completamente a natureza humana, pois, diz as Escrituras Sagradas, que Ele tem o coração do rei nas mãos e o inclina para o lado que Ele quer. Há isto podemos dizer: sobrenatural divino. Ele faz!.


NO TEXTO ÁCIMA REFERIDO, TEMOS UM EXEMPLO GRANDIOSO, DO SOBRENATURAL DE DEUS OPERANDO NO NATURAL HUMANO.


A multidão estava cansada e faminta. Faminta de Deus – O Pão Da Vida – alimento sobrenatural, espiritual; tanto quanto do pão substancial “alimento para o corpo”. Sabemos que por mais que o homem seja desprovido, jamais faz uma longa jornada sem que traga consigo, o mínimo de alimentos segundo às suas possibilidades momentâneas. Creio que cada um dos que ali estavam ansiando ouvir o Mestre, depois de uma longa jornada, sol à pino, trazia em sua mochila, alguma provisão em víveres. Mesmo que um pedaço de pão seco ou peixe. Porém, a natureza do homem mesquinho e falho – pois, é através da Palavra, que mudanças acontecem, e eles estavam ansiosos por conhecê-la –, não estavam segundo a visão cristocêntrica: o partilhar em comunhão uns com os outros, temiam colocar à mostra os seus alimentos... A multidão era grande! Acaso, não é assim, ainda hoje, entre os que têm a natureza mesquinha? O Senhor Jesus na sua onisciência, discernindo o que se passava nos corações, nas mentes de tantos quantos ali estavam, sabiamente para não os constranger, levantou as mãos ao céu e orou apresentando à Deus Pai os “cinco pães e os dois peixinhos” (para alimentar toda a multidão), os vejo( pela fé) envergonhados a retirar de suas mochilas, pães, peixes e muito mais, segundo às suas próprias possibilidades!... “O POUCO COM DEUS, É MUITO”. Quando nas nossas igrejas há alguma festividade e cada um se encarrega de levar algo, ficamos admirados com o que se pode fazer através da comunhão, do espírito doador, do compartilhar. É GRANDE O BANQUETE! SOBEJA! E costumamos dizer:Deus fez milagre! Proveu uma mesa no deserto!


ASSIM SENDO, AMADOS, APRENDAMOS A EXERCER UMA FÉ CONSCIENTE, A SABERMOS DISCERNIR O NATURAL DO SOBRENATURAL, SABENDO QUE, ATÉ MESMO NA LÁGRIMA QUE CAI, ESTÁ O MILAGRE SOBRENATURAL DE DEUS OPERANTE ATRAVÉS DO NATURAL HUMANO!




EstherRogessi.Mensagem de Vida:Mesa No Deserto.Categoria:Narrativa.
Imagem:EstherRogessi.

Ame-se e Vença!

Feliz o homem que, como disse o apóstolo São Paulo, pode afirmar: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé (II Tm4.7).
A vida é um eterno aprendizado! E, ao longo dela, nos deparamos com dificuldades e muitas aflições. Muitas das vezes, somos incompreendidos, por que não dizer, até mesmo julgados, apontados... Injuriados? Porém, jamais podemos deixar o desânimo nos assolar!
Decepções acontecem... E, mesmo que sintamos um momentâneo abatimento espiritual, temos que lembrar sempre, que, se Deus é por nós – de fato o é! – não podemos desistir jamais dos nossos ideais.
Só os fortes vencem! E esta fortaleza, concerne em força interior e não física – há gigantes caídos, sem previsão de restauração –, o Senhor nos alerta, nos exorta, quanto ao fato, de que, na vida teremos aflições, mas, devemos perseverar, ter bom ânimo, pois, se Ele venceu nós também venceremos. Deve está sempre em nós a certeza do que somos em Cristo – mais que vencedores –, devemos olhar sempre para o alto e buscar refrigério e socorro no único, que jamais se nega a quem o busca.
Por que parar diante dos obstáculos que se apresentam no decurso das nossas vidas? Perseverança é a chave para a vitória.
Há pessoas que fazem de suas vidas uma colcha de retalhos. Jamais perseveram no que se propõem a fazer. Desistem sempre no início, ou quando muito, no meio do caminho... Há ainda os que se sentem incapacitados, diante da capacitação de outros. Por que não procurar aprender com os que julgamos capazes? E por quê ainda, não ter a certeza de que não há sábio, que não tenha sempre o que aprender, e que muitas das vezes, aprendemos com quem pensamos nada saber?
Tenho aprendido com às crianças e com quem aparentemente se apresenta sábio. Tudo isto tem me conduzido ao crescimento, jamais a desistência. Esta é o combustível para a incapacitação que conduz o homem ao fracasso, assim como, a perseverança conduz ao aprendizado e consequentemente ao sucesso! Alegremo-nos com os sábios, pois, através deles, se adquire a sabedoria. Oremos pelos desistentes, para que se amem o bastante e assim
perseverem até o caminho do sucesso, sendo concisos de que o maior sucesso é ter a certeza do que somos e de quem somos em Cristo!
EstherRogessi. Mensagem de Vida:Ame-se e Vença! Categoria:Narrativa.Publicado no Recanto das Letras em 15/06/09. http://muraldosescritores.ning.com/profile/Esther
Copyright.

O Estranho Trabalhar de Deus.





O Estranho Trabalhar de Deus
(Inspirado em um conto de autoria por mim desconhecida)
Um certo rei tinha um servo que muito temia à Deus. E, constantemente dizia: Deus nunca erra!
Um certo dia, saiu com o rei para uma caçada e em dado momento, o rei foi atacado por um animal, vindo à perder um dedo. O servo tentando encorajar o rei disse: meu rei, Deus sabe de todas às coisas, Ele nunca erra!O rei muitíssimo irritado mandou que colocassem o servo em um cárcere.
Voltou o rei à fazer outra caçada e de repente, selvagens que costumavam ofertar sacrifícios humanos aos seus deuses, o prenderam, e quando o preparavam para o sacrifício, viram que lhe faltava um dedo... Chegaram a conclusão de que ele não seria um sacrifício perfeito aos deuses, e assim, o libertaram. O rei muito alegre mandou soltar o bom servo e o agradeceu se desculpando por tê-lo prendido. Disse ao servo: Eu só não entendo o porque deste Deus que você tanto defende ter permitido que você ficasse preso...
O bom servo esboçando um sorriso disse: O Senhor é bom e nada faz por acaso, se eu estivesse livre, teria ido com o senhor, meu rei. Certamente, os selvagens teriam me tirado a vida, pois, sou perfeito! Deus nunca erra!
Parafraseando o Texto:
Muitas das vezes, Deus trabalha de forma estranha e permite coisas terríveis para operar maravilhas. Porém, nós na nossa ignorância não entendemos, murmuramos e até por vezes, blasfemamos contra o Todo - Poderoso, nos esquecendo, que até na dor, Ele é vitória, pois, diz o livro do profeta Naum: Deus faz seu caminho através da tempestade. O que não entendemos hoje, certamente entenderemos amanhã. Afinal de contas, Deus nunca erra!
Esther"Rogessi".Mensagem de Vida:O Estranho Trabalhar de Deus.Inspirada em um conto de autoria por mim desconhecida.
Categoria:Narrativa. 29/06/09.

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...