quinta-feira, 29 de julho de 2010

CRISTAIS AMARGOS


Na calada da noite..na brisa
mansa que me acaricia,
és presença viva,és nostalgia...
Ouço o vento..seu assovio,
trise lamento, sussurros d'alma.. buscando alento.
Saudade dói...cristais amargos,
tristes ais no peito trago.
Alma dorida, ferida aberta,
o tempo cura...
Disso estou certa!

EstherRogessi.Escritora UBE.Cristais Amargos. 29/07/10
Imagens Web, Arte Digital (montagens por EstherRogessi)
Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License


segunda-feira, 26 de julho de 2010

NO PASSADO


Vento frio hibernal.. agasalho-me e deleito-me

...aconchegada ao teu peito, delicio-me com teu jeito.

Hoje, és o mesmo: ardente e envolvente.

O teu semblante sereno faz meus dias amenos...

Tua masculinidade se atenua.. diante de minha nudez,

abraças-me, doces momentos ao teu lado...

Amo-te..amas-me, tal qual, no passado!


EstherRogessi.Escritora UBE.No Passado. Exercício Poético:Varal do Luna.
Imagem Web.25/07/10

domingo, 25 de julho de 2010

ATÉ QUE PONTO O AMBIENTE INFLUENCIA NO DESENVOLVIMENTO DO INDIVÍDUO



Comumente ouvimos a expressão de que o homem é produto do meio, porém, não podemos descartar o fato contundente de que, para toda regra há exceção.

O ser humano traz em si uma multiplicidade de sentires; surpreendem-nos em suas ações e reações. Assim sendo, o homem se torna uma incógnita, por muitas vezes, surpreendendo a si próprio. Isso, diante do fato de que, somos seres “fabricados.”

Somos tal qual, uma placa mãe - virgem -, que tende a receber em si informações não próprias: aderimos aos ensinamentos impostos, às convenções, sistemas, dogmas, conceitos e pré-conceitos. Somos o que nos fizeram ser. O nosso “eu” geralmente se encontra adormecido. Até chegar o momento da ruptura; do despertar - tal qual um vulcão adormecido -, o caráter próprio, a essência, o ego; a psique. De forma que, os fatores externos, tais quais, o próprio habitat, ou ambiente casual, tanto quanto, os ensinamentos adquiridos -, exercem sim, grande influência no indivíduo, sendo essa, a causa dos conflitos internos; da aparente rebelião - momento de ruptura, de transição, sobre o que nos foi imposto por longo tempo, e, o momento do surgimento do nosso “eu oculto.” Pura questão de fluência da essência.

Exemplificando: no preparo de uma feijoada, se encontram vários ingredientes que, por estar em um mesmo caldeirão, receberão o mesmo gosto, porém, a essência de cada um deles permanecerá: costeletas de porco serão sempre costeletas de porco e, assim, sucessivamente.


Diante do ora, exposto, concluo que, às causas externas influenciam no comportamento do indivíduo, até o momento de sua ruptura, com a dualidade nele existente: fatores internos e externos, ou seja: essência e formação imposta, adquirida.

Chegando porém, esse momento, de ruptura -quando o indivíduo assume-si de fato;diante de tal firmeza de caráter, os fatores externos, não mais exercerão sobre si os seus efeitos.

Trago um pensamento de um autor por mim desconhecido: “A garça a ave de plumagem mais branca se alimenta do mangue e não se suja.”


EstherRogessi.

Escritora UBE. Mat.3963. Artigo: Até Que Ponto...? Categoria: Narrativa.25/0710. Imagem:Web


Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

quinta-feira, 22 de julho de 2010

A GUISA DE INTRODUÇÃO (RODA POÉTICA CAPPAZ)



Falar em amizade é falar do sentimento mais sublime que se pode ter conhecimento.

Pois, esse, engloba a verdade prática contextual existente em (I Co 13:4-8).

Uma receita divina do caráter fraterno e cristocêntrico.

O amor existente na amizade pura.. é sublime, benigna, não invejosa, nem tampouco leviana; não se ensoberbece, nem se porta com indecência; não busca os próprios interesses, não se inquieta, não suspeita mal. Não folga com a injustiça mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta, pois, o amor nunca falha.

A nossa existência terrena requer moderação e ponderação, para o bom convívio social. Requer atitudes de paz e bem sempre!


Sabemos que, difícil coisa é a vida do ser humano na atual sociedade, onde, cada qual, se encontra propenso a si doar, a prover para si, necessidades afetivas e carências múltiplas em prol de si mesmo -individualismo – que dificilmente em nossos dias, ultrapassa a fronteira dos nossos domínios de nosso habitat. O amor, a amizade, para muitos, infelizmente, se transformou em utopia. Somos seres pensantes, criados à imagem do Pai - Sua forma corpórea-. Certamente que, fomos feitos, para termos e vivermos em comunhão uns com os outros. Não é bom que o homem viva só..


Às nossas diferenças concernentes à crenças, sentires e pensares, jamais poderão, nos apartar e/ou ser impedimento para a aproximação..amizade, amor!

Se dentre os irracionais, existe amizade, prestação de socorros, e adoções, mesmo diante de comprovada desigualdade racial – cães, macacos e gatos se completam harmonicamente; se ajudam, se integram... numa contundente demonstração de que, tudo depende de abertura, doação, aceitação, amor.


Diante desse fato, que aprendamos a lição; que aceitemos às diferenças do nosso próximo, até torná-lo o mais próximo que pudermos de cada um de nós. Pois amigo é o que aceita conviver com as diferenças da outra metade, sem que imponha mudanças...


Temos a alegria da constatação de que na CAPPAZ existe – mesmo diante da multiplicidade de sentires e pensares - a capacitação em tantos quantos, a compõem, de aceitação, doação e integração poética em prol de um fim: “almas afins de estruturar através das interfaces de amor e paz.” Vidas cappaz(es) de um sentimento nobre, nuança do amor fraterno.


O exemplo disso é esta Roda Poética, que, formou-se espontaneamente, pela suplantação do envio de textos que a nós chegaram, nos comprovando que a CAPPAZ é uma família de amigos.

Somos gratos a todos que fazem a “Confraria Artistas Poetas pela Paz” pela disponibilidade em se integrarem nas festividades do DIA DO AMIGO. Superação das nossas expectativas; surpresa para as suas idealizadoras: Joyce L. Krischke e Rosângela Coelho. A elas, a todos, muito obrigada e Feliz dia do AMIGO.



EstherRogessi.Escritora UBE Mat. 3963.Categoria: Narrativa.22/07/10.Com citações da Bíblia Sagrada (I Co 13:4-8)

Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

terça-feira, 20 de julho de 2010

AMIGO


Nem sempre, meditamos no sentido verdadeiro dessa palavra.
Fácil é se dizer ser..quase impossível é a certeza de se ter!
Os que sempre se dizem “amigos” são os que menos o são..!
Com certeza, nem sempre, os nossos amigos estão entre os que nos acompanha; entre os que comem conosco; os que se fazem presentes, até mesmo na nossa intimidade...

Lembremos, de que, Judas Iscariotes viveu, conviveu, dormiu, e, se alimentou materialmente e espiritualmente das mãos do Senhor Jesus. O mais curioso é que, mesmo que o Senhor soubesse quem ele era, e que viria a traí-Lo, levando-o à morte, confiou-lhe o cargo excelente de tesoureiro.. e, ainda, nos últimos momentos em que passou no convívio com os doze comissionados, estando à mesa, sabendo da traição de Judas, disse-lhe: “O que tens para fazer, faze-o logo!”

Ora, comumente, dispensamos a quem não confiamos; queremos distância de quem sabemos ser um traidor. Há quem diga que “meio inimigo meu é inimigo inteiro.” Porém, o Senhor não se esquivou do convívio com Judas.

Embora o termo “apartar” denote ruptura material; desligamento físico.., devemos lembrar que, o Pai nos deixou um grande ensinamento através de seu convívio com o traidor Judas: podemos sim,ocupar o mesmo espaço físico que o inimigo, e.. ainda assim, sentir paz e transmiti-la ... Isso, de acordo com o discernimento bíblico, espiritualmente falando, não hermeneuticamente, nem tampouco acordando, com a exegese textual, concernente ao contexto bíblico, ora descrito.

O apartar é não se unir em atitudes e pensamentos que, não comunguem com o que cremos e/ou defendemos. Porém, não negarmos auxílio, socorros, no que for devido, estando alerta e precavido sempre, em atitudes e palavras; vigilantes para não aderir - através do convívio com quem não confiamos-, às mesmas atitudes contrárias aos nossos princípios, nos resguardando de envergonharmos a Deus, a nossa família e a nós mesmos.
“ Um pouco de fermento leveda toda a massa (Gl 5.9 )

Nem sempre os que nos abraçam são os nossos amigos e menos ainda os que beijam a nossa face -sinal da traição de Judas Iscariotes - . Porém, tão certo quanto à existência do dia e da noite; da morte e da vida; do riso e da lágrima; do fogo e da água; do amor e do ódio; do Criador e do destruidor.., enfim, existe o amigo leal e verdadeiro. E, eu louvo a Deus por tê-los!

O sublime, o amor mais excelente do que o de muitas mulheres (expressão bíblica sobre o amor fraterno, o amor Zoé existente entre Jônatas e Davi - o puro amor de Deus - , a forma mais pura de amar. Não o amor carnal; eros, comumente dito sobre o amor de um homem para com uma mulher e vice-versa. Refiro-me ao amor de um verdadeiro amigo. Que por assim ser, excede o amor de muitas mulheres – há distorções grosseiras e blasfemas, concernentes a verdade hermenêutica desse texto, por parte de quem quer si beneficiar, ou, trazer para si, respaldo bíblico, para os próprios interesses-.
Em verdade, o que nos diz o contexto hermeneuticamente falando, é que, no amor "Eros", existem sentimentos contrários ao amor verdadeiro, tal qual, o ciúme e suas nuanças. Porém, no amor Zoé - o puro amor de Deus existente entre Jônatas e Davi e vice-versa; o amor de alma, de retidão, de justiça.. e esta, verdadeira. Pois, Jônatas não se deixou contaminar pela loucura do próprio pai - o rei Saul -, quando o espírito de inveja e ciúmes o tomou e o enlouqueceu.Jônatas não foi conivente aos erros de seu pai, mas, foi justo no seu proceder. Ele sabia que Deus tinha ungido a Davi e, que, este era reto diante de Deus.Acaso na foi o próprio Deus que disse ser Davi o homem segundo o Seu coração? A justiça perfeita começa dentro de nossa própria casa. Jônatas ficou do lado da justiça-, existe a plenitude de um sentimento nascido do coração de Deus para o nosso coração.

Portanto, que os dissabores da vida, as traições, o abandono, às calúnias, jamais nos obscureça a visão e nem tampouco, destruam-nos a esperança do amor sincero, da lealdade e da pura amizade – do amor Zoé – o puro amor de Deus!
Existem amigos..que possamos cultivá-los!

EstherRogessi.Escritora UBE Mat.3963. Crônica: AMIGO. Categoria: Narrativa.20/0710. Imagem Web
Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

quinta-feira, 15 de julho de 2010

"Amizade - uma das nuanças do amor!"


Amizade é ouro, é preciosidade guardada em um depositório vivo
... ritmado, em cadência freqüente...
É uma das nuanças do amor e ao mesmo tempo.. o próprio amor!
Há muitas formas de amor e, nem sempre no amor há amizade.
há quem ama e não escuta;
há quem ama, mas, não se doa;
há quem ama e não perdoa;
há quem ama..só de longe;
há quem ama, mas, não assume;
há quem ama e só consome...
Mas, no amigo verdadeiro, procurando se encontra;
precisando, se acha: ouvidos sem palavras;
abraços sem braços;
palavras encorajadoras e, duras na hora certa.
Pois, amigo não é ser conivente com os erros, mas,
Colocá-los de frente.
É ser feliz em fazer feliz.. é chorar junto...
É amar!

EstherRogessi
Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Não Sou Ladina


Amei-te sinceramente, contigo trilhas percorri,

transparentes foram meus atos, igual ao meu sentir...

Flame sentimento..apagou-se, tal qual, vento

... Esse teu amor por mim.. minh’alma ludibriada,

enganada, jamais do amor desisti!

Vão-se os poetas fica o amor.. vencendo a dor

...Infinda, retidão trago n’alma... Não sou ladina!



EstherRogessi,Prosa: Não Sou Ladina. Categoria:Poética 14/07/10
Varal do Luna http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_america.asp?ID=6306

Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

GRATIDÃO POR EXISTIR

São 6h35min do dia 14 de julho... Dia em que Deus resolveu por bem, me presentear com a dádiva de meu nascimento - pouquíssimo tempo atrás, pois, renasço à cada dia; à cada dia sou criança, do eterno jardim de infância, onde brotam constantes botões de rosas, e, com elas, novos espinhos.. onde predadores arrancam às formosas, beija-flores lhes sugam o néctar e, lhes pousam em festa os lindos passarinhos.. o "Bom Jardineiro," lhes polda e rega.Limpa-lhes as arestas, e, por tudo isso..Sou-LHE grata por meu existir e grata, aos que nesse dia, tal qual, você..enfeitaram o meu amanhecer com a lembrança do meu existir.
Que Deus lhe abençoe e que sua vida seja um eterno florir.

EstherRogessi.Gratidão Por Existir.14/07/10

sexta-feira, 9 de julho de 2010

D’ENCONTRO AOS DESENCONTROS

Minha consistência é nobre...

Matéria dura, tanto quanto, a pederneira.

Resisti a ventos e ciclones, lutei com lobos

...resisti aos homens!

Estive dentro de vulcões sem lavas,

qual Daniel..resisti as fornalhas...

Amansei leões..voei alto com falcões.

Qual garça que se alimenta do mangue sem si sujar...

Estive na lama sem ser de lá.

Os muitos ventos contrários ao meu redor,

giraram-me o corpo, rasgaram-me às vestes

...Subi nesse giro, em alta rotação,

tal qual, folha seca, deixei-me levar.. meio ao tufão!

Quem me olha e deseja o meu lugar..

Não suportaria o preço que a vida me tem cobrado...

Quem o poderia suportar...?


EstherRogessi. Prosa:D’ENCONTRO AOS DESENCONTROS.09/07/10. Imagem:Web

Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Força Oculta & Scraps de Bob Marley


A força que em mim se oculta,
e, que quando penso vencida está.. se agiganta,
impetuosamente do pó me levanta..
Faz-me guerreira à frente dessa luta!
A batalha quase que desistida
...e, eu, vestida de mortalha,
porém, ainda não era o meu fim...
Rasguei minhas vestes mortuárias!
Pois, disse alguém: “Difícil não é lutar por aquilo que se quer,
e, sim.. desistir daquilo que mais se ama...”
– Não desisto de lutar pelo que amo,
pois, doce é a luta pelo que quero!
A promessa dessa força inaudita é tudo quanto anelo...
Não são pedras preciosas, ou, o ouro amarelo..
que encanta o ego dessa dama:
É a certeza de o que mais quero é difícil de alcançar
...impossível se tornará..se eu parar em meio dessa luta.
Mais difícil não é lutar pelo que quero
...nem desistir de lutar pelo que amo...
O mais difícil é não alcançar por desistir...!

EstherRogessi.Escritora UBE Mat.3963.FORÇA OCULTA & SCRAPS DE BOB MARLEY,05/07/10

Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

domingo, 4 de julho de 2010

PONDERAÇÕES


Penso na importância do saber conviver, e, contornar situações nem sempre agradáveis; de enxergar e, si comprazer com a visão do belo sabendo a necessidade da existência do aparente feio..mesclado de oculta beleza -falo de ações -, pois, para tudo e em tudo existe dualidade.

O que conceituamos de feio exerce um papel em prol do belo, não importando os meios,às lágrimas - lapidação para a alma.
O belo jamais o será totalmente..cedo ou tarde, na seda imaculada,fina,brilhante..apegar-se-á alguma nódoa!

Em síntese, o caráter perfeito é adquirido através do amigo e professor TEMPO e sua avassaladora maquinária!
O carvalho é enrijecido através das tempestades...

EstherRogessi: Ponderações,26/06/10
http://muraldosescritores.ning.com/profiles/blogs/ponderacoes-2
Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...