quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O OUTRO LADO DA ALEGRIA




Manhã especial - 12 de outubro.
Sentei-me à mesa para o café da manhã. Liguei a TV, lá, estava um noticiário sobre as festividades do dia dedicado às crianças – o ser mais sensível, delicado e ávido pela vida.
O doce palhaço era o entrevistado naquela manhã. Estava preparado para gerir sorrisos nos rostinhos inocentes, e gritos eufóricos.
Alguns deles, não se alimentaram. Não, por estarem movidos pela ansiedade das brincadeiras e presentes, mas, pela falta do alimento diário.
A notícia de que o doce palhaço estaria alegrando à todos, levou-as a esquecer a fome, e, a desejar sorrir no seu dia – presente do céu.
Crianças de todas às idades – as que estão aprendendo e as que estão esquecendo o que aprenderam – logo mais lotariam o Parque Dona Lindu - Boa Viagem / Recife-PE.
Enquanto acontecia a entrevista, o repórter observou uma menininha que fora a primeira a chegar, semblante tímido, prestando atenção à entrevista.
Olhei-a, profundamente. Minh’alma se constrangeu. Indescritível sentir fluiu do meu ser. Comecei a apresentá-la ao Senhor e a clamar por sua vida, abençoando-a... Ela recebeu o melhor presente que, poderia ter recebido no seu dia: a oração tem poder e a benção é maior que a maldição.

EstherRogessi. Escritora UBE. Mat.9363. Crônica: O OUTRO LADO DA ALEGRIA. 13/10/11.Imagem:Web.

sábado, 8 de outubro de 2011

Antoine Laurent de Lavoisier

A ntoine Laurent de Lavoisier (1743-1794). Graduado em direito sem jamais exercer a profissão.
N ão necessitaram senão de um momento para fazer cair essa cabeça e cem anos não serão suficientes para reproduzir outra semelhante. Palavras de Lagrange
Tratado Elementar da Química ( 1789), publicação considerada, marco da Química Moderna.
O governo monárquico era mal visto pela população, tanto quanto, a Ferme Générale – organização financista – que coletava impostos abusivos e repressivos, isentando o clero e o governo.
Impostos relativos a um grande número de produtos comerciais, cobrados às classes inferiores, sistema opressivo e corrupto.
Não passaram despercebidos no clima conturbado da França pré- revolucionária.
Essa associação terminaria por custar-lhe a vida... Tirada aos 51 anos de idade.

Lavoisier foi acusado de peculato – desvio do dinheiro público –, julgado culpado, conduzido a guilhotina em 8 de maio de 1794.
A ciência de uma forma geral, foi a paixão de Lavoisier. Sentiu-se estimulado durante o seu curso universitário a assistir aos cursos de professores conceituados ligados à essa área.
U niversidade de São Petersburgo onde Lavosier doutorou-se. Graduou-se em direito.
Reações químicas: Lavoisier tomou como axioma ou seja, verdade formal, que, nas reações químicas, a matéria não é criada nem destruída
Ele publicou uma tabela com 32 elementos – hoje, encontramos 92 na natureza –, percebeu que algumas substâncias que não tinham sido decompostas, como a soda e a potassa, seriam no futuro desdobradas em elementos.
N ão podemos descartar a sábia conclusão, de que, quando Lavoisier se referia à análise química, ele tinha em mente a análise quantitativa: a água não é apenas formada de hidrogênio e oxigênio, nomes que criou.
T eorias foram deixadas por ele, para o bem da humanidade, não chegou à teoria atômica da matéria, o que teria permitido escrever para a água a fórmula H20. Caso não tivesse morrido tragicamente, provável seria ter-se antecipado ao britânico John Dalton (1766-1844), o primeiro a conceber átomos cientificamente.

D uzentos anos após a sua trágica morte é avaliado como o precursor da química moderna.
E assim, devemos a Lavoisier, em sua concepção moderna, o começo de todo conhecimento químico, a análise química, nascida através dele.

L avoisier foi o primeiro a realizar a análise de substâncias orgânicas, queimando-as em oxigênio e pesando a água e o gás carbônico formados. Foi assim, um precursor da química orgânica.
A rmand Séguin (1767-1835), em 1789 junto a Lavoisier, estudaram a respiração do homem e de alguns animais, medindo o oxigênio consumido, o vapor d'água, o gás carbônico e o calor produzidos.
Vários países obtiveram a tradução do “Tratado Elementar da Química”, escrito por Lavoisier( 1789).
O Lavoisier era filho de uma família pertencente a nobreza francesa, recebeu uma ótima educação.estudou nos melhores colégios da França.
S abemos que a freqüente utilização da balança, pode ser considerada uma das principais características do trabalho de pesquisa de Lavoisier.
Isso o levou a descoberta da importância fundamental da massa da matéria, em estudos químicos, o que o fez concluir, que, a soma das massas dos reagentes é igual à soma das massas dos produtos de uma reação, ou seja, a famosa "Lei da conservação das massas".
E sabemos dever a Lavoisier a conclusão de que a água é uma substância composta, formada por hidrogênio e oxigênio. Isso, na época, foi surpreendente, pois a água era tida como substância simples, ou seja, impossível de se decompor.
Respiração e transpiração – fisiologia – estudo ao qual dedicou-se até o dia de sua morte.

EstherRogessi.Escritora. Mat. UBE 3963. Acróstico:Antoine Laurent de Lavoisier.Categoria: Poética.21/09/09.

PALAVRAS BRILHANTES




Procuro pérolas, procuro ouro, prata, bronze...Tesouros!
Procuro pedras e entre elas as preciosas
... procuro os cacos e dentre eles.. os cacos dos cacos.
Latão, ferro, manganês, enxofre!
Madeira de lei e, até a que, o cupim rói.
Areia, barro, saibro... lama!
Aprofundo-me.

Procuro nos templos sagrados.., na Bíblia Segundo Jesus Cristo
...Louvado seja para sempre!
Nas sinagogas Judaicas e nas de satanás!

Nada me espanta.. nada me choca! Nada me escandalisa!

Porém, eu choro!

Meu espírito pesa.. Minh’alma dói!

Nessa minha busca pela melhor parte.. de cada ser:
anjos ou demônios; explícitos e/ou disfarçados
... Claramente vejo Deus!

Em Maiakövski, Madre Tereza de Calcutá, Gandhi, Adolf Hitler!
Bertold Brecht, Keneth Hagin Jr, Martin Niemöller,
Joana D’arc, Nélson Mandela, Carl Gustav Jung...

Em Maiakövski, o maior poeta russo moderno que suicidou-se após a revolução de
Lenin e, que, escreveu dentre tantas obras magníficas:


A FLAUTA VÉRTEBRA
(Maiakövski)



A todos vocês,
que eu amei e que eu amo,
ícones guardados num coração-caverna,
como quem num banquete ergue a taça e celebra,
repleto de versos levanto meu crânio.
Penso, mais de uma vez:
seria melhor talvez
pôr-me o ponto final de um balaço.
Em todo caso
eu
hoje vou dar meu concerto de adeus.
Memória!
Convoca aos salões do cérebro
um renque inumerável de amadas.
Verte o riso de pupila em pupila,
veste a noite de núpcias passadas.
De corpo a corpo verta a alegria.
esta noite ficará na História.
Hoje executarei meus versos
na flauta de minhas próprias vértebras.


Em Madre Tereza de Calcutá


Enquanto estiver vivo, sinta-se vivo. Se sentir saudades do que fazia, volte a fazê-lo. Não viva de fotografias amareladas... Continue, quando todos esperam que desistas. Não deixe que enferruje o ferro que existe em você. Faça com que em vez de pena, tenham respeito por você. Quando não conseguir correr através dos anos, trote. Quando não conseguir trotar, caminhe. Quando não conseguir caminhar, use uma bengala. Mas nunca se detenha.
( Madre Tereza de Calcutá);

Carl Gustav Jung... (O autor defende a tese de um inconsciente coletivo, em menor ou maior grau, e que parece sobressair-se entre pessoas afins, como os poetas).


"Sou eu próprio uma questão colocada ao mundo e devo fornecer minha resposta; caso contrário, estarei reduzido à resposta que o mundo me der". (Carl Gustav Jung)

Palavras brilhantes oriundas de mentes que brilharam - mesmo que por instantes -, pois, todo dom perfeito, toda boa dádiva, vem do Pai das luzes, onde não há sombra nem variação. Nenhum mal é totalmente mal. Tudo e todos têm um papel a ser exercido em prol de algo e/ou de alguém.

Cada um desses personagens usaram o poder da palavra. Esta jamais será inútil. Prosperará a seu tempo. Quer de forma poética, quer narrativa, quer seja em discurso. A palavra tem poder.
Jamais morrerá. A grande prova disso - nesse momento, me abstenho de exemplificar o fato, através da Teologia -, está na poética de Maiakövski, quando ele escreveu:

Na primeira noite, eles se aproximam
e colhem uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem,
pisam as flores, matam nosso cão.
E não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles,
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a lua, e, conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.

E porque não dissemos nada,
Já não podemos dizer nada.

E depois de Maiakövski, outros usuram da verdade prática, contida no contexto poético do autor, para expressar verdades contemporâneas, donde podemos até, em parte, encontrar a denotação da tese defendida por Jung “ inconsciente coletivo”, em menor ou maior grau, e que parece sobressair-se entre pessoas afins, como os poetas...


Exemplificando:
Bertold Brecht (1898-1956)


Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro.

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu não era operário.

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável.

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

Martin Niemöller /1933.
(Símbolo da resistência aos nazistas).

Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.

No dia seguinte, vieram e levaram
meu outro vizinho que era comunista.
Como não sou comunista não me incomodei.

No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.
No quarto dia, vieram e me levaram;
Já não havia mais ninguém para reclamar...

Os versos de Maiakövski prosperaram... Sobreviveram ao tempo – a palavra é eterna.
Vão-se os poetas ficam os versos – aplicação da teoria do inconsciente coletivo (...?)

Nada é Novo! O que hoje é.., já foi e o que foi.. já era!


EstherRogessi. Escritora UBE. Mat.3963. Crônica: Palavras Brilhantes... Categoria: Narrativa. Texto EstherRogessi c/citações de poetas vários. Imagens Web e arte por EstherRogessi.14/08/10

AMOR DE FÃ

Casualmente te encontrei,
Admiração nasceu enfim...
Fã ardoroso me tornei,
O teu sentir sinto em mim.

Como sentir-te assim?
Como sentes... o meu sentir?
Quero ser o teu jasmim
Sempre oculta no teu existir.

Busco-te na tela muda...
Leio-te nos sites da Net,
Se não postas tudo muda...
Se postas bendita Internet!

Verdades profundamente descreves...
Desse ofício fazes o que bem queres:
situações, ações, tão diferentes...
Vidas, que, com arte descreves.

Ao ver-te online meu coração pulsa,
O verde é vida, emoção me trás...
Sem que eu seja poeta és minha musa
Estando off... tristeza me dás!

Amor de fã... Anonimato.
Nada sabes do meu existir.
Na muda tela cada escrito teu é fato,
Como é fato o meu amor por ti!

EstherRogessi. Poema: AMOR DE FÃ. 05/1011

QUESTÃO DE VISÃO

Naquela manhã fria e chuvosa sentei confortavelmente em minha poltrona, liguei a TV, procurei um bom filme – quase sempre acerto guiada pelo título –, achei!
Em certo momento, um dos personagens bradou: – Amigos, como diz a maldita frase de Platão: “A guerra só acabou para os mortos!”
Pasmei! Por que maldita frase?
O que levou esse homem a transformar uma frase sábia em maldição?
Não há dúvida: a boca fala do que o coração está cheio. E, as nossas ações originam-se do nosso estado de espírito.
Para tudo há uma razão. Imprescindível é tentarmos conseguir alcançar, compreender, discernir, o que se passa no íntimo de cada ser; considerarmos a origem de suas reações, quer em palavras e/ou ações.
Penso que, Platão fortemente desejou acordar para a vida, aos que vivem e não sabem. A vida é uma eterna batalha, temos que lutar a cada dia, tal qual soldado ferido; jamais deveremos largar às nossas armas, menos ainda parar. Pois, o soldado que para, por sentir as dores dos ferimentos, fica para trás.. Morre!
Voltemos ao raciocínio daquele personagem cinematográfico.
O que o fez transformar a sábia frase de Platão em maldição? Qual a causa?
Sabemos que a complexidade existente nos sentires do ser humano o leva a receber com o coração que tem e dar o que tem. Tudo isso implica em vários fatores: formação educacional, estruturação familiar, social, psicológica, etc.
Lembremos sempre do poder existente nas palavras, na escrita.
A faca de dois gumes que se nos apresenta o falar e/ou escrever. Por mais que desejemos dar o nosso melhor, haverá sempre quem o queira transformar no pior.
É bom e proveitoso meditar em situações iguais a esta, que, surgem do quase nada; nas consequências oriundas da interpretação textual – não desejada, quer da palavra e/ou da escrita – da parte de muitos
Lembrei do escritor alemão Johann Wofgang von Goethe, 1749-1832, que De forma inconsciente levou ao suicídio, muitos leitores da obra de sua autoria, e, que, o conduziu a fama – o caso Werther, e que a igreja católica o colocou no Índice dos Livros Proibidos.
(...) "Onde eu me sentia liberto e aliviado, porque havia transformado a realidade em poesia, meus amigos se enganaram, acreditando que se devia transformar a poesia em realidade."
(Johann Wofgang Von Goethe)
Questão de visão.

EstherRogessi. Escritora UBE. Mat. 3963. Crônica, 07/010/11.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

O INESPERADO

“Visto que o inimigo se encontra onde menos se espera, concluo que, na maioria das vezes necessitamos operar uma busca interior.”


EstherRogessi, Frase: O INESPERADO, 04/10/11

O INESPERADO - Frases e pensamentos - Poemas e Frases - Luso-Poemas

O INESPERADO - Frases e pensamentos - Poemas e Frases - Luso-Poemas

César Vallejo o poeta

O sofrer por não ter; a diferença social – em todas às eras vejo como que, agressão física e moral, se fez presente no cotidiano de César Vallejo.
Almejar instrução acadêmica, a frustração por não alcançá-la, da forma desejada – por falta de finanças, o fez crescer no sofrer.
A profundidade dos seus poemas – década de 30, os classificou por poemas humanos – a dor encontrando na solidariedade o antídoto para o sofrimento.
Magnânimo poetar; chagas abertas; sangue jorrando em forma de letras; originalidade em suas estruturações poéticas – estilo Vallejo.
Disse o pensador Thomas Merton a respeito de seu poetar: Vallejo é o mais importante poeta universal depois de Dante.
Não importa a classificação, a divisão do seu poetar. Se pré-moderna , moderna (ou vanguardista) e/ou pós-moderna. Importa os sentires oriundos de sua alma poética que, tornou a sua obra imortal e fez com que, o não menos imortal, Pablo Neruda, o admirasse a ponto de falar ser Vallejo melhor poeta que ele.


EstherRogessi, Crônica: César Vallejo o Poeta, 04/10/11

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...