sábado, 16 de janeiro de 2010

Palíndromo & Teoria Literária


Na terra do sal de pedra, a grama nasce verde!
Salinas não naturais, cultura de meus iguais...
AMA!
O vôo do pássaro levemente calca o chão,
Inclinando qual gavião a sua ASA,
ASA
A imaginação...
AMA!
Ouço uma doce voz à repetir:
AMA...
São teus irmãos!
Na terra do sal de pedra, a grama nasce verde.
Há esperança...
AMARGA GRAMA!
Avião...
Aviador, não ERRE!
ERRO COMUM QUE ORA OCORRE.
No dedo trago um ARO... ORA!
Implora!
No alto da torre
LUZ AZUL...
O vai e vem, vou e volto:
Palíndromo!
Comissário de vôo, anúncio rápido...
O BREVE VERBO:
A SUA PAUSA.
Invade-me
A DOR... RODA,
O RUDE E DURO
Chão...
Salvador!
Na terra do sal de pedra a grama nasce verde!

EstherRogessi.

Nota: HÁ PALAVRAS IMPLAGIÁVEIS: PALÍNDROMOS. “O palíndromo é uma palavra, frase ou qualquer outra sequência de unidades (como uma cadeia de ADN) que tenha a propriedade de poder ser lida tanto da direita para a esquerda como da esquerda para a direita. Num palíndromo, normalmente são desconsiderados os sinais ortográficos (diacríticos ou de pontuação), assim como os espaços entre palavras”. Também conhecido pelos nomes de Verso Anacíclico
e Verso Sotádico.

São exemplos de palíndromos as palavras, anilina, Ana, ovo, reger, osso, anona,
socos, sopapos, Omar, Roma, marram, matam, ralar, ataca, acata, ramo,amor, Raul,
luar, aia, rasar, rapar, radar...


Há frases inteiras que se constituem palíndromos.
Quanto maior a frase mais difícil é a sua elaboração.
Abaixo, alguns palíndromos feitos com frases:

a - ). A Rita atira.

b - ) Socorram-me, subi no ônibus em Marrocos.

c - ) Anotaram a data da maratona.

d - ) Assim a aia ia a missa.

e - ) A diva em Argel alegra-me a vida.

f - ) A droga da gorda.

g - ) A mala nada na lama.

h - ) A torre da derrota.

i - ) Luza ama azul.

j - ) O céu sueco.

l - ) O galo ama o lago.

M- ) O lobo ama o bolo.

N - ) O romano acata amores a damas amadas e Roma ataca o namoro.

O - ) Rir, o breve verbo rir.

P - ) Saíram o tio e oito marias.

Q - ) Zé de Lima, rua Laura mil e dez.

R - ) Luza rocelina, a namorada do Manuel, leu na moda da romana: anil é cor azul.

S - ) Até Reagan sibarita tira bisnaga ereta (Chico Buarque).

T - ) A cera causa a sua careca - registro de um anônimo -



EstherRogessi.Palíndromo & Teoria Literária. Categoria: Poética Narrativa. Fonte: Web & Scraps do Google,23/07/09

Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...