sábado, 27 de fevereiro de 2010

O MEDO



Estava um dia quente. O sol insistia em arder sem piedade, sobre as plantas, concreto... Sobre a minha pele.
O meu suor descia como se eu fosse uma pedra de gelo derretendo ao sol!
Até o vento... soprava quente!
Fui ao banheiro e entrei para tomar uma ducha fria, que, insistia em ser morna.
Não usei toalha. Queria amenizar a alta temperatura.
Pensei: a praia deve está uma delícia...!
Apesar de ser um feriadão... Não tive ânimo para passear. Eu queria mesmo, era curtir a família, a casa, da qual – por muito trabalhar – pouco eu usufruía do seu aconchego!
Perguntei: Quem quer sorvete? Todos sorriram! Saí para a desejada compra.
Como tudo estava fechado – por ser feriado –, fui a uma loja de conveniência – a única aberta – pouco distante de minha casa. Ao sair de casa, e, chegando a avenida principal... Fiquei pasma!
Senti algo muito estranho... Uma sensação, como jamais tivera sentido em toda a minha vida!
Não havia um carro sequer na avenida – que era tão barulhenta e movimentada –, não havia o menor sinal de pessoas ou animais... Nem mesmo o próprio vento, que não falta, estava presente!
Confesso: tive medo!
Vivi por breves momentos, o que é ter a certeza de está infinitamente só!...
Como dói o mundo em silêncio!
Como é apavorante, como se torna nula e vã a nossa vida ...
Não é nada bom ter a certeza de não mais ver, conversar, esbarrar em pessoas e coisas...
O meu coração batia forte! Ah! Eu queria ver alguém!
Com alegria, atravessei a avenida, e vi a loja de conveniências, aberta. Havia um moço fazendo a limpeza, organizando tudo, para a segunda - feira, o primeiro dia útil após o longo feriadão...!
Comprei o sorvete, em alegre conversa com o moço, e, voltei para casa muito feliz.
Como é bom ter uma família, ter para quem voltar! Agradeci a Deus por meu emprego, pelos colegas, pelos vizinhos – mesmo àqueles chatos –, pelos engarrafamentos, enfim... Pelo mundo!
Não o quero só para mim!!

EstherRogessi, Conto Cotidiano: O Medo.
http://muraldosescritores.ning.com/profiles/blogs/longe-esta-o-fim
Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...