sexta-feira, 7 de maio de 2010

EM MEIO AOS LOBOS



Após estacionar o carro em minha garagem, caminhei rumo ao espaço que tenho por meu.
Logo ao entrar ouvi o toque do telefone, uma ‘amiga’ - daquelas que fala até descarregar a pilha - insistia em alongar-se em uma conversa sem sentido. Permaneci muda. Só ouvindo, sequer, concordando ou discordando, tamanho o meu cansaço!


Comumente, não faz parte de o meu caráter ir de encontro a opiniões alheias. Há os que discutem, teimam e se agridem, tentando impor a outrens, suas ideias, convicções, quer religiosas, políticas, e/ou sobre áreas diversas. Detesto teimosia, imposições. Não costumo insistir em fazer-me ouvir e prevalecer à força. Duelar verbalmente ou através de escritos, não faz meu gênero, simplesmente por eu crer, que nada tenho para provar, competir. Sou o que sou; creio no que creio; meu caráter está formado, caminho em busca de aprimorá-lo. E, tudo quanto, ainda possa ser-lhe acrescido , tem que ter coerência com às minhas convicções atuais. Não sou como às ondas do mar - que vão e voltam - , mas, como o trigo em meio ao joio: durante as fortes ventanias, o trigo se dobra e vai ao chão, ao passo que, o joio fica ereto, se sobressai, não em altivez real, mas, em prepotência, arrogância, posicionamento peculiar aos loucos.
Às minhas convicções, são minhas. Costumo respeitar, mesmo não aceitando às do próximo. Se me questionam sobre o que creio, respondo, porém, jamais desejo ir de encontro, alongando-me em controvérsias.


A minha ‘amiga’ percebendo o meu silêncio, perguntou-me:
– Estás aí?
– Sim! Estou...
– Estás sentindo alguma coisa?
– Sim! Cansaço..Muito cansaço...!


Ora, cheguei a casa após um cansativo dia de trabalho: corpo exausto, alma exaurida, mente cansada. Quanta coisa vemos e passamos nessa vida! Um banho e, sorver do silêncio, um som baixinho, ambiente..era tudo quanto eu desejava. Queria deitar, uma massagem, relaxar; queria mãos que percorressem o meu corpo, para me aliviar da exaustão, e, olhos que me vissem com os olhos d’alma; que sentissem prazer em refrigerar-me o corpo, sem que ascendesse o apetite da carne; mãos que não me trabalhassem.., como faz o ‘bom cozinheiro’ preparando minuciosamente o prato, prestes a ser devorado.. Mas, que desejassem o meu bem-estar o meu descanso, a calma da minh’alma.


– Onde estavas? Aonde fostes?
– Passei o dia em meio aos lobos; em meio a hipocrisia; aos risos entre
dentes; às mãos que, alisavam os ombros, quando em verdade, desejava encravar-lhes as unhas; aos grunhidos d’alma; aos abraços - tais quais, exaustores -, desejosos de sugar a alma dos abraçados; aos faladores, fofoqueiros; aos que costumam colocar palavras nas nossas bocas...
– Deus! Onde você estava mulher? No inferno?
– Não! Os de lá..me são submissos! Eu estava onde muitos O louvam, porém, Ele está bem longe dos seus corações.. SOU PASTORA!




EstherRogessi,Conto: Em Meio aos Lobos!Categoria: Narrativa.06/05/10


Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...