sexta-feira, 7 de maio de 2010

LUZ PRÓPRIA!





A maioria dos meus escritos são em verdades vividas e/ou presenciadas no meu dia a dia.
A ficção vai ao encontro quase sempre, do que presenciei ou vivi, quer como cidadã, pessoa eclesiástica, mãe, esposa e/ou amiga - muitas são às experiências, conversas e confissões de gabinete - , etc..
Creio, que todo escritor é antenado a tudo quanto, se passa ao seu redor ou derredor.
Daí os muitos casos e causos, fábulas surgidas do concreto; o surreal nascido do real e vice-versa.


Pessoas perdem o brilho, estrelas e astros se apagam.
São, tais quais, cometas: maravilhosos  rastros de luz, que nos incandescem, porém, logo passam.


Esses astros e estrelas, terrestres, por não terem 'luz própria'; por não se preocuparem em fazerem fluir a sua verdadeira essência - a lâmpada tem por essência: a luz e, essa, só faltará se faltar à energia. Porém, o sol e a lua tem luz própria, porque 'quem' lhes proveu é a própria LUZ- tem problemas com suas reservas..


Em suma: o ser humano pode ser lâmpada; o escritor deve e tem o compromisso de ter luz própria - simplesmente pela responsabilidade de escrever para edificar, ensinar, divertir, estruturar e jamais competir-.


O PC não é arena e nem os poetas-escritores, gladiadores.
Devemos escrever antes de tudo para satisfação própria e para o nosso bel prazer, sem que fiquemos presos a preocupação de sermos lido; de postarmos muitos textos; e, menos ainda à vaidade de vermos nas nossas páginas muitos comentários.


Em verdade, muitos dos que comentam, nem chegam a ler de fato, os textos comentados. Quando muito, passam uma vista, afinal, é só uma troca de favores.


O que lê, por prazer, medita.. e, tem como comentar de fato.
O que escreve por prazer e pensando antes de tudo em si,
tem a convicção de que, mesmo sem convites abusivos a sua página, é lido!
Os bons produtos estão nas prateleiras, nos supermercados da vida, nós, os consumidores é que iremos até eles.
Marketing é necessário, porém, mesmo a SKY quando sobrecarrega o espaço com comerciais, nos faz mudar de canal, mesmo que, esteja apresentando um bom filme!


O reconhecimento profissional depende tão só, de nós mesmos. Do nosso esforço, seriedade e dedicação. Se nos apresentarmos como soberbos e/ou gladiadores, perderemos a estima dos que antes nos admiravam. Como ler um escritor, que se mostrou contrário do que críamos? Do que esperávamos?
Não escrevamos o que o público deseja, mas, o que cremos e defendemos. Sejamos nós.
Que possamos passar verdades e transformar fábulas em mensagens deveras fabulosas.
Temos que manter a boa qualidade do produto, cuidar bem na escolha da matéria prima, a competição de mercado é grande e só há um nome que é infalível e eterno!


Lembro de algo que ouvi e que vem ao encontro do que, ora, estamos a tratar: Um certo pastor, abriu uma igreja em uma rua central, esperava por certo que, a casa lotasse.. Bem ao lado da igreja
havia um teatro. Passaram-se os dias, meses, e a quantidade dos que frequentavam a mesma era mínima.
O pastor, se posicionou à porta, recostou-se e ficou a contemplar a multidão frente ao teatro. Seu espírito inquietou-se.. Chegou alguém e começou a conversar com o pastor. Esse aproveitando o ensejo cuidou de inquirir a pessoa no que não deveria e, falou: – Explique-me.. qual a razão de muitos ansiarem em assistir a um espetáculo teatral e, nenhum interesse em ouvir a Palavra de Deus?




Respondeu-lhe o homem: – Quer mesmo saber?
“A diferença está no fato de que os atores fazem da mentira verdade.”


Há muitos que pregam a ‘Verdade’ porém, não a vive! Não convence!


Portanto: que nós escritores-poetas, possamos passar verdades mesmo que, em meio às fábulas!






EstherRogessi. Crônica: LUZ PRÓPRIA! Categoria: Narrativa.06/05/10
Creative Commons License
This
obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...