terça-feira, 20 de julho de 2010

AMIGO


Nem sempre, meditamos no sentido verdadeiro dessa palavra.
Fácil é se dizer ser..quase impossível é a certeza de se ter!
Os que sempre se dizem “amigos” são os que menos o são..!
Com certeza, nem sempre, os nossos amigos estão entre os que nos acompanha; entre os que comem conosco; os que se fazem presentes, até mesmo na nossa intimidade...

Lembremos, de que, Judas Iscariotes viveu, conviveu, dormiu, e, se alimentou materialmente e espiritualmente das mãos do Senhor Jesus. O mais curioso é que, mesmo que o Senhor soubesse quem ele era, e que viria a traí-Lo, levando-o à morte, confiou-lhe o cargo excelente de tesoureiro.. e, ainda, nos últimos momentos em que passou no convívio com os doze comissionados, estando à mesa, sabendo da traição de Judas, disse-lhe: “O que tens para fazer, faze-o logo!”

Ora, comumente, dispensamos a quem não confiamos; queremos distância de quem sabemos ser um traidor. Há quem diga que “meio inimigo meu é inimigo inteiro.” Porém, o Senhor não se esquivou do convívio com Judas.

Embora o termo “apartar” denote ruptura material; desligamento físico.., devemos lembrar que, o Pai nos deixou um grande ensinamento através de seu convívio com o traidor Judas: podemos sim,ocupar o mesmo espaço físico que o inimigo, e.. ainda assim, sentir paz e transmiti-la ... Isso, de acordo com o discernimento bíblico, espiritualmente falando, não hermeneuticamente, nem tampouco acordando, com a exegese textual, concernente ao contexto bíblico, ora descrito.

O apartar é não se unir em atitudes e pensamentos que, não comunguem com o que cremos e/ou defendemos. Porém, não negarmos auxílio, socorros, no que for devido, estando alerta e precavido sempre, em atitudes e palavras; vigilantes para não aderir - através do convívio com quem não confiamos-, às mesmas atitudes contrárias aos nossos princípios, nos resguardando de envergonharmos a Deus, a nossa família e a nós mesmos.
“ Um pouco de fermento leveda toda a massa (Gl 5.9 )

Nem sempre os que nos abraçam são os nossos amigos e menos ainda os que beijam a nossa face -sinal da traição de Judas Iscariotes - . Porém, tão certo quanto à existência do dia e da noite; da morte e da vida; do riso e da lágrima; do fogo e da água; do amor e do ódio; do Criador e do destruidor.., enfim, existe o amigo leal e verdadeiro. E, eu louvo a Deus por tê-los!

O sublime, o amor mais excelente do que o de muitas mulheres (expressão bíblica sobre o amor fraterno, o amor Zoé existente entre Jônatas e Davi - o puro amor de Deus - , a forma mais pura de amar. Não o amor carnal; eros, comumente dito sobre o amor de um homem para com uma mulher e vice-versa. Refiro-me ao amor de um verdadeiro amigo. Que por assim ser, excede o amor de muitas mulheres – há distorções grosseiras e blasfemas, concernentes a verdade hermenêutica desse texto, por parte de quem quer si beneficiar, ou, trazer para si, respaldo bíblico, para os próprios interesses-.
Em verdade, o que nos diz o contexto hermeneuticamente falando, é que, no amor "Eros", existem sentimentos contrários ao amor verdadeiro, tal qual, o ciúme e suas nuanças. Porém, no amor Zoé - o puro amor de Deus existente entre Jônatas e Davi e vice-versa; o amor de alma, de retidão, de justiça.. e esta, verdadeira. Pois, Jônatas não se deixou contaminar pela loucura do próprio pai - o rei Saul -, quando o espírito de inveja e ciúmes o tomou e o enlouqueceu.Jônatas não foi conivente aos erros de seu pai, mas, foi justo no seu proceder. Ele sabia que Deus tinha ungido a Davi e, que, este era reto diante de Deus.Acaso na foi o próprio Deus que disse ser Davi o homem segundo o Seu coração? A justiça perfeita começa dentro de nossa própria casa. Jônatas ficou do lado da justiça-, existe a plenitude de um sentimento nascido do coração de Deus para o nosso coração.

Portanto, que os dissabores da vida, as traições, o abandono, às calúnias, jamais nos obscureça a visão e nem tampouco, destruam-nos a esperança do amor sincero, da lealdade e da pura amizade – do amor Zoé – o puro amor de Deus!
Existem amigos..que possamos cultivá-los!

EstherRogessi.Escritora UBE Mat.3963. Crônica: AMIGO. Categoria: Narrativa.20/0710. Imagem Web
Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...