quinta-feira, 22 de julho de 2010

A GUISA DE INTRODUÇÃO (RODA POÉTICA CAPPAZ)



Falar em amizade é falar do sentimento mais sublime que se pode ter conhecimento.

Pois, esse, engloba a verdade prática contextual existente em (I Co 13:4-8).

Uma receita divina do caráter fraterno e cristocêntrico.

O amor existente na amizade pura.. é sublime, benigna, não invejosa, nem tampouco leviana; não se ensoberbece, nem se porta com indecência; não busca os próprios interesses, não se inquieta, não suspeita mal. Não folga com a injustiça mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta, pois, o amor nunca falha.

A nossa existência terrena requer moderação e ponderação, para o bom convívio social. Requer atitudes de paz e bem sempre!


Sabemos que, difícil coisa é a vida do ser humano na atual sociedade, onde, cada qual, se encontra propenso a si doar, a prover para si, necessidades afetivas e carências múltiplas em prol de si mesmo -individualismo – que dificilmente em nossos dias, ultrapassa a fronteira dos nossos domínios de nosso habitat. O amor, a amizade, para muitos, infelizmente, se transformou em utopia. Somos seres pensantes, criados à imagem do Pai - Sua forma corpórea-. Certamente que, fomos feitos, para termos e vivermos em comunhão uns com os outros. Não é bom que o homem viva só..


Às nossas diferenças concernentes à crenças, sentires e pensares, jamais poderão, nos apartar e/ou ser impedimento para a aproximação..amizade, amor!

Se dentre os irracionais, existe amizade, prestação de socorros, e adoções, mesmo diante de comprovada desigualdade racial – cães, macacos e gatos se completam harmonicamente; se ajudam, se integram... numa contundente demonstração de que, tudo depende de abertura, doação, aceitação, amor.


Diante desse fato, que aprendamos a lição; que aceitemos às diferenças do nosso próximo, até torná-lo o mais próximo que pudermos de cada um de nós. Pois amigo é o que aceita conviver com as diferenças da outra metade, sem que imponha mudanças...


Temos a alegria da constatação de que na CAPPAZ existe – mesmo diante da multiplicidade de sentires e pensares - a capacitação em tantos quantos, a compõem, de aceitação, doação e integração poética em prol de um fim: “almas afins de estruturar através das interfaces de amor e paz.” Vidas cappaz(es) de um sentimento nobre, nuança do amor fraterno.


O exemplo disso é esta Roda Poética, que, formou-se espontaneamente, pela suplantação do envio de textos que a nós chegaram, nos comprovando que a CAPPAZ é uma família de amigos.

Somos gratos a todos que fazem a “Confraria Artistas Poetas pela Paz” pela disponibilidade em se integrarem nas festividades do DIA DO AMIGO. Superação das nossas expectativas; surpresa para as suas idealizadoras: Joyce L. Krischke e Rosângela Coelho. A elas, a todos, muito obrigada e Feliz dia do AMIGO.



EstherRogessi.Escritora UBE Mat. 3963.Categoria: Narrativa.22/07/10.Com citações da Bíblia Sagrada (I Co 13:4-8)

Creative Commons License
This obra by Attribute work to name is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...