sábado, 23 de julho de 2011

AMIZADE CONSCIENTE

Estamos vivendo o mês de julho e precisamente no dia 20/07 comemoramos o dia do amigo.
Amigo é o maior tesouro que se pode achar na vida.
Analisemos o que é um amigo: Nem sempre é o que se diz amigo, menos ainda, o que nos abraça e está sempre se desmanchando em sorrisos; o que nos fala sempre com palavras brandas, doces.
Encontraremos o amigo verdadeiro na clareza das ações, quando essas condizem com as suas palavras – isso, é raro.
Por muitas vezes por trás das palavras brandas e doces se encontra um coração que não se dobra verdadeiramente ao amor; um coração rancoroso – Ninguém pode ser bom em uma área de sua vida e seguir ferindo a outros, o amor é um todo indivisível ( Mahatmam Gandhi) – que, mesmo tendo ciência do erro, jamais se desculpa. Prossegue o seu caminho, como que, se nada estivesse a dever – espiritualmente falando –

“A mágoa resseca os ossos”. Sabemos que quando erramos sem que nos desculpemos, isso refletirá na nossa vida espiritual. “Examine-se o homem a si mesmo”.

Teremos da vida segundo as nossas ações e pensamentos.
É importante o reconhecimento do erro.Tiremos a venda dos nossos olhos; façamos uma autoanálise das nossas ações; sejamos dignos e nobres em reconhecermos onde erramos.

O amigo deve ter senso de justiça para com a outra parte. Essa justiça deve começar dentro da própria casa. Justiça requer imparcialidade no julgamento – falo do discernir o certo do errado, não do pronunciamento condenatório. Certo é o que está certo.
Jamais deixemo-nos levar por amizades ou laços consangüíneos , na explicitação do nosso parecer.

É responsabilidade de um amigo reconhecer erros e acertos de quem se tem por amigo. Porém, o discernimento desses erros, não deverá cooperar para o detrimento dessa amizade. Estando certa ou errada, a amizade prevalecerá. A verdadeira amizade aplaude na hora certa, ralha no momento exato – o amigo difere do bajulador. Amigo é o que mostra o erro, sem que seja conivente com ele – o que é conivente com o erro se torna um com ele.

A verdade liberta mesmo que, venha sacudir, a quem costuma pensar estar e ser sempre correto, dono da razão. Chegará o momento em que haverá o despertar. A verdade, antes dolorosa, julgada ultrajante – embora libertadora –, veio através de um verdadeiro amigo e não de um bajulador.

O amigo critica construindo.
Jamais fala mal sem que esse - o amigo - esteja presente.
A maior fraqueza do ser humano é falar de quem, enganosamente, o tem por amigo, na sua ausência. Impossibilitando a sua defesa e explicações.
Pensar conhecer tudo e a todos, em profundidade; fazer conclusões próprias, sobre fatos e pessoas que, em verdade, são completamente diferentes do que se imagina, atraindo para si coisas negativas é muito perigoso.

“Nem tudo que é parece ser e nem tudo que parece é”.

Receberemos da vida não mais, não menos, do que pensarmos ou executarmos contra o nosso próximo.
Lembremos de uma palavra que faz parte, integra e é imprescindível na amizade – “fidelidade”. As duas são ingredientes perfeitos do amor.
Havendo amor haverá fidelidade. Na falta dela, o amor estará em falta. A infidelidade nos conduz a vários caminhos e buscas. Quem encontra o amor não tem o que e/ou a quem buscar – já encontrou.

Não lhes falo sobre o amor Eros, mas sobre o amor Ágape, Zoe, este último é o amor que deve existir entre irmãos, amigos – o puro amor de Deus. O amor que existiu entre Jônatas e Davi e/ou vice-versa. O amor que Jônatas sentia por Davi transcendia ao amor de muitas mulheres. Essa verdade bíblica concerne, ao fato de que, muitas vezes não se encontra em uma mulher: sinceridade, fidelidade. O amor nela existente, algumas vezes, não é suficiente, para uma convivência em honra transformando-a em traição.
Dessa forma, a fidelidade e sinceridade existente na amizade entre, o súdito – espiritual – Jônatas e o rei Davi era tão excelente, e, pura que transcendia ao amor de muitas mulheres.
O puro amor de Deus sem nenhum sentimento que fosse contrário a verdadeira amizade; sem nenhuma referência a sexualidade. Nada mais além, ou aquém. Amizade em amor e justiça.
Importava a Jônatas agradar a Deus.
Os laços consanguíneos não o afastaram da retidão. Ele sabia que o seu pai – o rei Saul estava enlouquecido pela inveja e ciúmes. Deus era com Davi e estava com Davi. Sendo ele contra Davi seria contra Deus.
Na verdadeira amizade há senso de justiça – o certo jamais deixará de ser certo. Isso é agradável a Deus.

Desejo a você a felicidade de encontrar um amigo verdadeiro.


EstherRogessi. Escritora UBE Mat. 3963. Texto: Amizade Consciente. Categoria: Narrativa 18/07/2010. Releitura 23/07/11.

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...