sábado, 8 de outubro de 2011

QUESTÃO DE VISÃO

Naquela manhã fria e chuvosa sentei confortavelmente em minha poltrona, liguei a TV, procurei um bom filme – quase sempre acerto guiada pelo título –, achei!
Em certo momento, um dos personagens bradou: – Amigos, como diz a maldita frase de Platão: “A guerra só acabou para os mortos!”
Pasmei! Por que maldita frase?
O que levou esse homem a transformar uma frase sábia em maldição?
Não há dúvida: a boca fala do que o coração está cheio. E, as nossas ações originam-se do nosso estado de espírito.
Para tudo há uma razão. Imprescindível é tentarmos conseguir alcançar, compreender, discernir, o que se passa no íntimo de cada ser; considerarmos a origem de suas reações, quer em palavras e/ou ações.
Penso que, Platão fortemente desejou acordar para a vida, aos que vivem e não sabem. A vida é uma eterna batalha, temos que lutar a cada dia, tal qual soldado ferido; jamais deveremos largar às nossas armas, menos ainda parar. Pois, o soldado que para, por sentir as dores dos ferimentos, fica para trás.. Morre!
Voltemos ao raciocínio daquele personagem cinematográfico.
O que o fez transformar a sábia frase de Platão em maldição? Qual a causa?
Sabemos que a complexidade existente nos sentires do ser humano o leva a receber com o coração que tem e dar o que tem. Tudo isso implica em vários fatores: formação educacional, estruturação familiar, social, psicológica, etc.
Lembremos sempre do poder existente nas palavras, na escrita.
A faca de dois gumes que se nos apresenta o falar e/ou escrever. Por mais que desejemos dar o nosso melhor, haverá sempre quem o queira transformar no pior.
É bom e proveitoso meditar em situações iguais a esta, que, surgem do quase nada; nas consequências oriundas da interpretação textual – não desejada, quer da palavra e/ou da escrita – da parte de muitos
Lembrei do escritor alemão Johann Wofgang von Goethe, 1749-1832, que De forma inconsciente levou ao suicídio, muitos leitores da obra de sua autoria, e, que, o conduziu a fama – o caso Werther, e que a igreja católica o colocou no Índice dos Livros Proibidos.
(...) "Onde eu me sentia liberto e aliviado, porque havia transformado a realidade em poesia, meus amigos se enganaram, acreditando que se devia transformar a poesia em realidade."
(Johann Wofgang Von Goethe)
Questão de visão.

EstherRogessi. Escritora UBE. Mat. 3963. Crônica, 07/010/11.

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Baronesa da Gothia Rogessi de A. Mendes (EstherRogessi). Pernambucana, outorgada com Título Nobiliárquico - Alta Insígnia BARONESA DA GOTHIA da Augustíssima e Soberana Casa Real e Imperial dos Godos de Oriente, DAMA COMENDADORA da Real Ordem dos Cavaleiros e Damas Rei Ramiro de Leão. Comendadora pelo CONINTER ARTES.. Escritora UBE/SP; Embaixadora da Paz (FEBACLA); Artista plástica, Membro Correspondente de várias Academias de Letras e Artes Nacionais e Internacionais. Consulesa e Comendadora. Tem escritos publicados em Antologias e Revistas Virtuais, no Brasil e exterior. Publicou o seu primeiro livro solo, pela Editora Literarte intitulado "Conflitos de uma alma" Romance ISBN 978-8-5835200-8-5 EstherRogessi recebeu várias premiações nacionais e internacionais.

Tesouros Escondidos...